O Corinthians está longe de viver um bom momento no Campeonato Brasileiro. A equipe ocupa a 12ª posição na tabela e ainda corre o risco de rebaixamento. Uma crítica recorrente ao Alvinegro é o fato de o treinador Jair Ventura dificilmente repetir a escalação nas partidas. Neste sábado, às 19h, contra o Bahia, o técnico deve mudar mais uma vez a formação.

“Quando a gente fala que o Corinthians não repetiu a formação, tem duas situações diferentes. Em uma você não repete por opção. E outra você não consegue. Se tenho o Jadson [contra o Bahia], eu posso repetir. Tenho os números. Em 11 jogos, só mudei por conta própria duas vezes. Nas demais eu fui obrigado a mudar. São coisas diferentes. É lógico que quer dar sequência ao time para para ganhar ritmo, entrosamento”, disse Jair, que ainda tem esperança de contar com Jadson.

“Ele vai ser reavaliado ainda, porque ainda tem um pequeno edema”, completou o treinador sobre o meia, que sentiu dores musculares na panturrilha direita.

Até mesmo pela situação do Corinthians no Brasileirão, já há pressão sobre o técnico Jair Ventura e a diretoria. Na última quinta-feira, a principal organizada alvinegra, a Gaviões da Fiel, teve uma reunião com o presidente do clube, Andrés Sanchez. O mandatário, em algumas ocasiões, garantiu o treinador no cargo.

“Você me pergunta se eu acredito no meu presidente, e você acredita no seu? Eu acredito no meu. Se os resultados não chegarem, eu e todos os treinadores correm risco. Eu acredito no meu presidente, acredito no homem até ele me mostrar uma situação diferente”, completou Jair.

Confira as principais respostas do treinador na entrevista coletiva desta sexta-feira:

Trabalho no Corinthians e dificuldades

Falar dos problemas fica fácil. O treinador sabe os problemas que todos vocês sabem, mas nós temos que dar uma solução. Identificar o problema é fácil, mas nosso trabalho é encontrar a solução. Não posso culpar A, B ou C. Estávamos na crista da onda quando eliminamos o Flamengo, e nem por isso me achei o melhor treinador. É preciso ter o equilíbrio. Sabemos que estamos perto da zona de rebaixamento, mas temos qualidade para estar mais longe e dentro disso vamos trabalhar forte para subir o mais rápido possível. A gente está olhando para cima, mas sabemos que as últimas colocações estão próximas. Vamos tentar voltar a vencer e deixar esse assunto ali, porque não é bom para ninguém.

Finalizações

Nossa maior dificuldade no ano foi o número de finalizações. O Corinthians é uma das equipes que menos finaliza. Estamos trabalhando para mudar isso. Apesar de o Corinthians ter ficado famoso por ser um time cirúrgico, sendo que na era Tite foi assim, mas se acertarmos mais finalizações, estaremos mais perto do gol. No último jogos conseguimos fazer, os atacantes voltaram a marcar.

Jonathas

É uma opção. Ele teve dois jogos como titular, contra Santos e Cruzeiro. Agora estou observando outros jogadores


Compartilhar:

Deixe seus Comentario